O seu feedback é importante para nós, por isso, se alguma vez se sentir menos satisfeito com algum dos nossos serviços; se cometermos um erro ou se tiver uma sugestão para a melhoria do nosso serviço e/ou produtos, nós queremos saber.

 

 

 

Pode contactar-nos através dos seguintes meios:
Por escrito:
Innovarisk Lda
Av. Duque de Loulé, 123 – 7º
1069-152 Lisboa – Portugal

 

Por Telefone e/ou Fax:
Tel: (+351) 215 918 370
Fax: (+351) 215 918 379

 

Por email:
reclamacoes@innovarisk.pt

 

Como gerimos a sua reclamação
Tentaremos sempre resolver a sua reclamação imediatamente. Contudo, em alguns casos, pode ser necessária uma investigação mais aprofundada. Nestes casos, dar-lhe-emos a nossa resposta final em 4 semanas. Se por qualquer razão isto não for possível, entraremos em contacto consigo para explicar as razões deste atraso e para o informar do prazo provável para finalizar as averiguações necessárias.

 

O que pode fazer se ainda não estiver satisfeito
Esperamos que nunca tenha de o fazer, mas se ainda não estiver satisfeito com a forma como gerimos a sua reclamação, o resultado da mesma, ou se tiverem passado 8 semanas e ainda não lhe tenhamos dado a nossa resposta final, tem o direito a recorrer ao Provedor do Cliente.

 

Provedor do Cliente Hiscox:
Dr. Francisco Borges de Carvalho
Rua Braamcamp, 6 – 1º Esq
1250-050 Lisboa – Portugal

 

Por Fax: (+351) 21 380 2629
Por Email: fborgescarvalho@paccv.com

 

Provedor do Cliente Lloyd’s:
Dr. Gonçalo Vareiro
Rua Braamcamp, 6 – 1º Esq
1250-050 Lisboa – Portugal

 

Por Fax: (+351) 21 380 2620
Por Email: gvareiro@paccv.com

 

Resolução de Litígios
Qualquer litígio relacionado com ou emergente da(s) sua(s) apólice(s), incluindo a sua interpretação, aplicação e validade, deve ser resolvido por acordo, de boa fé, através de negociação entre as partes.

No caso de as negociações serem infrutíferas, qualquer das partes pode recorrer aos procedimentos judiciais, sendo que o Segurado e a Seguradora podem acordar em recorrer ao tribunal arbitral, constituído por três árbitros, sendo dois escolhidos por cada uma das partes e o terceiro por acordo, a sedear em Lisboa e que aplica a lei portuguesa. A decisão do tribunal arbitral é definitiva.