LOGIN :
“Manusear com carinho”

“Manusear com carinho”

Arte Obras de Arte

Seja uma peça individual ou parte de uma coleção, uma obra de arte não é apenas um objeto de valor elevado. Muitas vezes é uma paixão. Que, sem a proteção correta, pode sofrer facilmente um dano, deixando o seu proprietário esmorecido.

Quando se fala em obras de arte, e dos perigos a que as mesmas estão sujeitas, podemos pensar que o risco maior será o do roubo. Mas não é bem assim. Na realidade, a nossa experiência diz-nos que mais de 50% os sinistros com obras de arte tem como causa o dano acidental.

No que diz respeito às peças de arte que qualquer um de nós possa ter em casa, o risco passa a existir a partir do momento em que tocamos numa peça, seja para a pendurar ou simplesmente para a limpar. É nessa altura que o dano acidental acontece. Um exemplo frequente de sinistro é quando a sua empregada doméstica, na tentativa de limpar uma peça, a deixa cair ao chão, danificando-a.

Quando as peças pertencem a entidades privadas ou públicas que tenham por hábito a sua exposição ao público, o risco aumenta exponencialmente. Entre tantas exposições, leilões e feiras que se realizam em todo o mundo, o movimento da arte é constante, e é claro que as peças estão mais vulneráveis quando estão a ser movimentadas e manipuladas.

Uma grande percentagem de sinistros com peças que estão frequentemente presentes em exposições abertas ao público acontece durante o seu embalamento, manuseamento e transporte.

Um dos motivos mais frequente para sinistros com obras que são movimentadas é a falta de uma embalagem adequada. Cada peça deve ser embalada de acordo com a sua forma, dimensão e materiais que a compõem, e isso muitas vezes não acontece. Daí ser tão importante, nestes casos, recorrer a um transportador especializado.

O dano acidental é uma cobertura fundamental para a proteção das suas obras de arte. E garanti-lo pode ser a diferença entre manter a paixão ou sofrer um desgosto.

Por Ana Cunha, Subscritora de Patrimoniais

Fale connosco